Voar… o susto!

Você sente aquele friozinho na barriga quando o avião levanta vôo? E esse friozinho só passa depois que ele pousa? Pois então temos algo em comum. No primeiro post do blog eu falo sobre isso e conto um dos fiascos que já passei. Pois então agora chegou a vez de eu dividir uma segunda experiência… que foi um pouquiiiinho mais tensa que aquela.

Quando eu preparei a minha última viagem (maio deste ano), eu coloquei lugares em que eu só conseguiria viajar de avião. Até então tudo certo. Não sinto aquela ansiedade pré embarque. Ela só vem mesmo quando os motores ligam. Enfim, eu sabia que ia ficar nervosa e tal, mas não é isso que vai me impedir de viajar né.

O vôo que comprei saia de Mumbai e ia para Chennai, na Índia. Como eu já tinha viajado com a SpiceJet eu estava super tranquila, porque realmente gostei da companhia aérea. Em uma hora de viagem eles servem refeição (completa), o que me rendeu muitas risadas. Experimentei cada coisa com gosto estranho kkkkkkk mas foi bem tranquilo. Até então.

O aeroporto de Mumbai é lindo! Gigante, limpinho, moderno e bastante lojinhas para passar o tempo. Cheguei no fim de tarde, o vôo era só a noite.

Embarcamos as 20:05, eu, o husband e a sogra nos acomodamos nos últimos bancos (ótimo, porque já ouvi falar que no caso de queda, a chance de sobreviver é um pouco maior, a louca kkkkk) e eu pensei que ia dormir né, estava cansada…. só que não, não mesmo!

A viagem foi rápida, uma horinha só. O problema foi na hora da descida que tudo começou. Eu estava tranquila, rindo. Até que o avião, do nada, acelerou. Bastante. Nessa hora já segurei na mão do Thiago e arregalei os olhos que nem coruja. E ele com a cara serena de quem estava flutuando. Juro que não entendo. Aí, como se não bastasse, nós no último banco, estávamos lá em cima!!! A gente podia ver o avião inteiro!!!! Ou seja!!!! Ele estava imbicando Jesus! Aí o Thiago me olha, rindo, e fala: tá vendo Dani?! A gente tá lá em cima. Nisso eu enfiei minha cabeça nas axilas dele que nem avestruz e tentei pensar em coisas boas pra relaxar a mente, mas nada funcionava e o joelho começou a tremer (óbvio). Nisso as aeromoças já estavam todas sentadas e de cinto (o que me apavora ainda mais) e o comandante começa a falar em Hindi!!! Eu realmente queria saber o que estava acontecendo. Em inglês a única coisa que ele falou foi: senhores passageiros apertem os cintos e não tanques a passagem do corredor. Ponto! Serio! Me despedi de todos em pensamento e comecei a rezar. Eu abri os olhos por um momento: o Thiago todo colado no banco e a sogra com o olhar fixo pra frente. A moça da frente fez a posição de emergência. Fechei os olhos de novo. Nesse momento eu estava quase tendo uma convulsão de tanto que tremia.

Então, do nada, pousamos. 😳 chacoalhou e pousamos. O comandante nem avisou!!! Aí eu amoleci e agradeci muito!!!! Eu queria perguntar pro piloto se era normal, ou se ele tava bêbado ou se divertindo e fazendo manobras. Mas preferi ficar quieta e me recompor pro próximo vôo, que saia em três horas. A única coisa que eu não sabia era que o próximo, viajaríamos em um avião sem turbina! Mas essa história fica pra próxima!

Se você se identificou com a minha situação comente aqui e conte a sua história!

Instagram: @pegadasdeumaviagem

Viagem

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: